Clubes licenciados

O ano de 2019 regista algumas alterações significativas relativamente aos clubes licenciados na FPB com sede na região abrangida pela ARBL.

Registamos a suspensão de actividade dos núcleos de bridge CEAS, NBCBL e ABL, lembrando que a sua dissolução apenas poderá ocorrer em AG’s dos respectivos núcleos expressamente convocadas para o efeito.

Por outro lado regista-se, para já, o aparecimento de dois novos núcleos designados por Núcleo de Bridge do Clube Futebol Belenenses e Planeta Bridge, a quem expressamos as nossas saudações desportivas e os votos de sucesso nas respectivas actividades.

Esperamos que mais dois novos núcleos sejam formalmente constituídos, lembrando que para tal é necessário cumprir as formalidades legais para a sua constituição. Até lá os núcleos não existem e, como tal, não pode a ARBL aceitar taxas de licenciamento de praticantes através destas novas entidades.

Se até ao final do prazo legal para o licenciamento de praticantes (31 de Março) a situação destes novos núcleos não estiver resolvida a ARBL devolverá à origem os valores indevidamente pagos, ficando os praticantes abrangidos em situação de incumprimento.

A lista oficial de clubes com a situação regularizada está publicada em outro local deste site e para a qual chamamos a atenção de todos os praticantes, lembrando que o seu licenciamento tem de ser feito através de um clube devidamente habilitado para o efeito.

Campeonato Regional Equipas

Terminou a fase de apuramento do Campeonato Regional Equipas Open, tendo-se apurado para a Final A as 3 primeiras classificadas de cada série da fase de apuramento. A prova será disputada em 6 rondas de 24 mãos, em round robin sem repetição de encontros da fase de apuramento.

Em simultâneo decorrerá a Final B para escalonamento na classificação final. Se o número de participantes o permitir a prova será disputada no sistema suíço em igual número de jornadas da Final A.

CLASSIFICAÇÃO DA FASE DE APURAMENTO

SÉRIE A SÉRIE B SÉRIE C

Grande Prémio Portugal 2019

Com o fundamental apoio do IPDJ – Museu do Desporto e numa iniciativa conjunta da Federação Portuguesa de Bridge e da Associação Regional de Bridge de Lisboa, o Grande Prémio de Portugal irá decorrer em Lisboa entre 7 e 12 de Maio de 2019.

A prova decorrerá no espaço do nobre da Biblioteca do Museu do Desporto, no Palácio Foz.

De há muito que Lisboa reclamava e justificava esta notícia. Agora é deitar mãos à obra e fazer desta edição do GPP uma jornada de divulgação do bridge e da cidade.

As inscrições estão abertas no site Quinto Naipe

PROGRAMA

Campeonato Pares por IMP’s

No seguimento das infelizes ocorrências do Campeonato Regional de Pares por IMP’s a Direcção Desportiva da ARBL, após uma análise cuidada e em conjunto com o director do torneio tomou as seguintes decisões:

Sobre o formato da prova

  1. A fase de apuramento tinha sido preparada para 4 secções, em função do número de pares inscritos. Posteriormente, 3 pares comunicaram ao árbitro a indisponibilidade em participar, ficando a prova com 35 pares.
  2. Perante esta situação as opções a considerar eram:
    • Manter as 4 séries programadas, com 3 séries de 9 pares e 1 série de 8 pares e 6 mãos por ronda. Esta solução implicaria que a série de 8 pares teria 7 rondas e as séries de 9 pares 9 rondas, com um bye.
    • Reorganizar a prova com 3 séries, 2 com 12 pares e 1 com 11 pares e um bye. Esta solução implicaria a redução do número de mãos por encontro de 6 para 5.
    • De acordo com as competências que lhe são conferidas pelos regulamentos decidiu o árbitro optar pela solução 2.
  3. Recebeu o Departamento Desportivo algumas reclamações de praticantes argumentando contra o não cumprimento do regulamento publicado o que, em nosso entender, não se verificou. Perante uma situação de última hora utilizou o árbitro os poderes que lhe são atribuídos para optar pela solução que lhe pareceu mais equilibrada.

Sobre o não correcto funcionamento do software

1-     Ocorreu um problema técnico na 2ª sessão da fase de apuramento que impediu a entrada de dados no programa de cálculo, o que implicou a necessidade de introdução manual dos resultados.

2-     Este procedimento originou uma reconhecida e lamentável confusão no andamento do torneio, em parte pela pressão do tempo mas, sobretudo, pela inexistência de um plano B eficaz para situações deste tipo. Sendo suposto que as ferramentas técnicas ao dispor dos jogadores e do árbitro para o registo e apuramento de resultados funcionem correctamente, é fundamental que, em todas as provas, estejam previstos mecanismos alternativos para resolver este tipo de problemas, o que não aconteceu.

3-     Enquanto owner do projecto desportivo a Direcção Desportiva da ARBL assume, obviamente, a total responsabilidade pelo ocorrido.

4-     Para o futuro a Direcção Desportiva irá, juntamente com os árbitros nomeados para as diferentes provas, promover um conjunto de iniciativas com vista a minorar o risco para este tipo de ocorrências e que passam pela formação específica para o uso das ferramentas técnicas, bridgemates e programa de cálculo e, fundamentamente, para a necessidade de um plano B para situações de emergência.

Sobre os resultados da fase de apuramento

1-     De acordo com os dados recolhidos pelo árbitro foram de novo analisados todos os resultados da fase de apuramento, havendo uma confortável garantia sobre a fiabilidade dos mesmos não tendo, quer o árbitro quer o Departamento Desportivo quer o árbitro, recebido qualquer reclamação objectiva sobre resultados mal introduzidos.  Em função do exposto decidiu o DD da ARBL validar os resultados finais da fase de apuramento.

Sobre a fase final A

1-     Foram identificados diversos problemas, nomeadamente:

  • O Carry Over da fase de apuramento estava errado e foi já corrigido.
  • Não tinha sido considerada a correcção dos valores do C/O resultante da diferença do número de mãos entre a fase de apuramento e a fase final, o que foi corrigido.
  • Por deficiente inicialização do torneio os resultados não estavam a ser calculados em IMP’s cruzados como estava definido no regulamento, situação também já corrigida.

2-     Foram revistos todos os resultados introduzidos e que podem ser analisados na informação específica da prova. Não tendo sido detectada qualquer reclamação sobre os resultados introduzidos a Direcção da ARBL decidiu considerar como definitivos os resultados publicados e que podem ser em:

APURAMENTO FINAL A

Sobre a final B

1-     Foram vários os problemas identificados:

a.      Repetição dos problemas com o software já verificados na fase de apuramento.

b.      Não aplicação do carry over conforme definido no regulamento

c.      Não fiabilidade dos resultados, com muitas reclamações de jogadores referentes a resultados mal introduzidos.

d.      O ocorrido no ponto anterior implicou, necessariamente, erros no emparelhamento dos encontros.

e.      Eliminação de 2 jornadas do swiss.

2-     Perante estes factos decidiu o Departamento Desportivo da ARBL repetir a final B em condições de normalidade. Assim, todos os pares não apurados para a final A podem disputar a final B, obviamente sem custos para os praticantes. Aos pares que optarem por não exercer esse direito será devolvida a importância paga por estas 2 sessões.

Conclusão

A todos os praticantes obviamente lesados pela confusão gerada nesta prova o Departamento Desportivo da ARBL reforça o seu pedido de desculpa. Estamos conscientes que este tipo de situações não devem acontecer e encaramos este assunto com toda a relevância e prioridade que o mesmo exige. Pretendemos que os acontecimentos desportivos realizados sob a égide desta Direcção atinjam níveis de qualidade no serviço prestado e no material desportivo disponibilizado e continuaremos a trabalhar para que tal se verifique.

Terminamos com uma palavra de agradecimento a todos os praticantes que nos dirigiram palavras de apoio, incentivo e compreensão pelo ocorrido e a todos deixamos o nosso compromisso de tudo fazer para que estas situações não se venham a repetir.

Saudações desportivas

Luís Oliveira

José António Debonnaire

1943 – 2018

A ARBL comunica o falecimento do José António Debonnaire com profundo pesar.
Desaparece assim o por muitos considerado como o melhor jogador português de sempre, com um palmarés ao nível nacional e internacional sem paralelo entre nós.
À família, amigos e parceiros de sempre apresentamos as nossas sentidas condolências.

Comunicados da ARBL

Reforço da Direcção da ARBL

Em reunião de Direcção foi decidido convidar a Mariana Leitão para integrar a equipa directiva. O convite foi aceite e assim temos o prazer de dar as boas-vindas à Mariana, certos que este é um passo importante no sentido de preparar o futuro.

Taxas de licenciamento 2019

Chamamos uma vez mais à atenção dos praticantes e dos clubes licenciados na ARBL para a necessidade de cumprir as novas regras em vigor desde 1 de Janeiro de 2019.

Pode ver aqui o regulamento.

Clubes licenciados (actualização)

Confirmado o desaparecimento do NBCBL e da ABL surgem em sua substituição dois novos clubes designados por A PONTE e NABL (Núcleo Amigos Bridge Lisboa). Aguardamos a formalização da respectiva constituição.

A ARBL aguarda também mais informações sobre estes novos clubes, nomeadamente no que respeita à composição dos seus órgãos sociais.

Também o Clube Futebol Belenenses criou uma secção de bridge com inscrição na FPB já efectuada.

Em sentido contrário e por não ter entregue qualquer licenciamento de praticantes em 2018 deixou de ser clube licenciado o Clube de Tavira, o que lamentamos.

 

Torneio de Abertura

Começou a época de 2019!

O torneio de Abertura contou com a participação de 37 pares, com Carolina Pimenta e António Palma a repetirem a vitória de 2018. Juliano Barbosa – Acácio Figueiredo e Sofia Pessoa – João Paes Carvalho ocuparam os restantes lugares do pódio.

Toda a informação no local habitual, nesta página.

Clubes licenciados na ARBL

A época de 2019 vai ser marcada por algumas alterações significativas no que respeita aos clubes licenciados na ARBL.

Os clubes NBCBL e ABL, que representam um número muito significativo de praticantes, vão ser desactivados sendo criados 2 novos clubes em sua substituição. A ARBL espera e deseja que estas novas entidades desportivas mantenham o papel relevante no bridge lisboeta e nacional que as suas antecessoras.

Outras mudanças podem ainda verificar-se com o aparecimento de novos pólos de bridge, uma informação ainda por confirmar.

A Direcção da ARBL deseja a todos os agentes desportivos uma excelente época de 2019.